domingo, 23 de dezembro de 2007

A Fantasia (tem Brilhos Como As Estrelas) - Mafalda Veiga

Vais pela rua
E finges que navegas
Desancorado até à alma
Percorres os mares do mundo
Hoje és um rei
E finges que te entregas
Ao vento e à tempestade
Como se fosses um vagabundo
À aventura, sente
A maresia e a madrugada
Corre, deixa te levar
Pelo vento quente
Que se cola ao teu corpo
E te embala sempre
Até quereres voltar
A fantasia
Tem brilhos como as estrelas
É morna e doce e apetece
Soltá-la a voar no mundo
Hoje és um rei
Na tua caravela
A navegar
Num sôpro de magia

Solta - Pedro Khima

Solta,
Pega fogo por dentro,
Espalha o medo,
Mas solta…
Faz de mim o inferno,
Solto eterno,
Mas solta o que há em mim.
Traz contigo ar,
Traz o vento que eu não sinto,
E preciso de respirar.
Traz contigo azul,
Traz contigo mar que eu não minto,
E preciso de me inventar.
Queres que faça a luz voltar,
Queres que traga o sol,
Mas não dá, não, não dá.
Queres que deixe o céu entrar,
Que deixe um salto me elevar,
Traz um pouco de ar contigo
E solta o que há em mim.
Traz contigo água,
Traz a chuva que eu já não sinto,
E preciso de me entregar.
Traz contigo cor,
Traz esse calor que eu não minto,
E preciso de te alcançar.

Saltar até morrer - Pedro Khima

Saltar até morrer,
Eu quero ver-te saltar até morrer,
Sempre à tua maneira,
E acordar sem nada a temer.
Até que as teias de luz Te façam sair deste lugar.
E mesmo que sem voltar
Te possa sentir num outro lugar.
E quando a tua cor Me transformar em dor
Escondo-me em sono,
Para que mesmo de olhos fechados
Eu te possa ver.
Sem medo de transpirar,
Sem culpa para arrastar deste lugar…
Até que te faças ir,
Que te faças ouvir,
Para nunca lembrar.
E quando mesmo quase lá no alto,
Nesse salto-viagem,
Conseguires ver com olhos
De quem pintou o céu de azul,
És mar, és chama, és filtro sem senão, solta de razão,
És sede de quebrar, és nada e tudo o mais.
És parte de mim.
És parte de mim.
És mais do que isso,
És parte de mim.

Refúgio - Pedro Khima

Por mais que quisesse ser
Uma eterna canção,
Um perfeito poema...
Um sopro no teu ouvido,
Um suspiro sem dono
Solto à tua espera...
Sei que no dia em que te encontrar
Serei apenas outra vez,
Aquele que um dia não acordou,
Aquele que se deixou ficar.
Sem ponta por onde arder,
De uma chama vazia,
Faço fogo para sempre...
Sem prova do teu calor,
Sem poder respirar-te
A todo o momento...
Sei que no dia em que te encontrar,
Serei apenas outra vez,
Aquele que um dia não acordou e agora quer voltar.
Só mais uma,
Só mais uma,
Dá-me a noite
Só mais uma vez
Só mais uma,
Só mais uma,
Dá-me a noite,
Só mais uma.
Por mais que quisesse ser
Um minuto da noite,
Um segundo do dia.
Um lábio no teu sorriso,
Criador do teu reino,
Preso na tua ilha.
Sei que no dia em que te encontrar,
Serei apenas outra vez,
Aquele que um dia não acordou e agora quer voltar.
Só mais uma,
Só mais uma,
Dá-me a noite
Só mais uma vez
Só mais uma,
Só mais uma,
Dá-me a noite,
Só mais uma vez.
Se um dia foste aroma de sereia,
E foste o mundo que é só meu,
Foste a chuva que me embalou...
Agora que acordei, agora és muito mais...
Se um dia foste fonte de magia,
E foste um dia o meu lugar,
Agora que acordei, irei dormir jamais...
Só mais uma,
Só mais uma,
Dá-me a noite
Só mais uma vez
Só mais uma,
Só mais uma,
Dá-me a noite,
Só mais uma vez

O pincel - Pedro Khima

Desta vez foi de vez,
Quem queria ser foi-se embora,
E agora sou eu
Sempre fiz, sempre fui
Tudo aquilo que não consigo
Contigo, e
Por não mais entender,
Cedi a tudo num só dia,
Sentia por fim.
Mas irei ceder uma vez mais,
Por saber que não sou capaz,
Quando um dia puder... por um dia.
Se apenas fora ninguém,
Bem melhor do que alguém como eu,
Bem sei... Se fora ninguém,
Bem melhor do que alguém como eu...
(melhor do que eu)
Sei que mesmo assim não sei.
Entreguei meu pincel,
Com a certeza de uma novaHistória,
Que pintei, desenhei,
Para que pudesse ser um dia
Melhor do que alguém…
Desta vez, foi de vez,
Agora sei porque não presto,
Despeço-me aqui.

O gesto que é meu - Pedro Khima

Fizeste um gesto que alguém foi copiar,
Um gesto que era apenas meu para dar.
E num instante foste longe no teu jeito de vaguear,
Sem sequer reparar.
De todos, este eu sei de cor, o gesto que é meu.
Pegaste um livro e num momento vulgar,
Tocaste o espaço, fintaste o paranormal.
Subiste o mundo sem olhar para trás,
Num caminho espacial, num gesto em ti banal.
De todos, este eu sei de cor, o gesto que é meu.
Sobra incerto um gesto, que cega e faz tremer,
Num inferno de feroz calor,
Que queima o amanhecer.
Sobre um beijo desfeito entregas sem saber,
O gesto que é meu.
Em tela de água fez-se o tempo parar,
Um tempo que era escasso para pintar.
Em luz dormente um novo enlouquecer,
À luz do teu poder, um gesto a adormecer.
De todos, este eu sei de cor, o gesto que é meu.

Lugar - Pedro Khima

Tenho um meu lugar,
Que guardo só para mim,
Em segredo onde o tempo não tem fim…
E sei onde encontrar,
Se o certo é me perder,
Num instante esse mundo tão meu…
Sei eu, sei eu…
Sei eu, sei eu,
De um mundo só meu…
Só meu, só meu…
Só meu, só meu…
Que há dentro de ti…
Dentro de ti…
E afasto sem quebrar,
Por todo o meu jardim,
Ramos soltos que me querem ver cair…
E sei onde esperar,
Se o certo é me encontrar,
Bem distante nesse o mundo tão meu…

Eu sou assim - Pedro Khima

Eu sou assim,
Sempre que ao pé de ti…
Sou mais que um só,
E cada vez mais só.
Guardo em mim
Este pouco de ti.
Para lá eu quero ir.
Para lá eu quero ir bem devagar,
Bem devagar.
Por bem longe para não mais chegar.
Sou água, terra, sou fogo e ar,
Sou sol e chuva, sou hoje e sou nada.
Mais que um só e cada vez mais só.
Sou noite, dia, sou céu e mar,
Sou morte, vida, sou hoje e sou nada.
Mais que um só e cada vez mais só.
Eu sou assim,
Mais do que um só em ti.
Sou ar de quem,
Ar de quem não sei.
Mas levo em mim
Este tanto de ti.
Eu sou assim ao pé de ti.

Esse sabor - Pedro Khima

Diz-me de onde vens
Escreve que eu não vejo
Fica tarde
Guarda-me um lugar
Nesse espaço teu
Que uma vez provei e gostei
Sento-me aqui
Diz-me que me encontras
Prendo-me aqui
Em tons de negro
Em tons do teu olhar
Que uma vez provei e gostei
E hoje o fio que nos une
É mais do que corrente
É mais do que navalha
Ferida e mastigada
É mais do que um cordel
É vendido, mais que isso, não te prende
Foi-se a sobra de sentido que uma vez provei e gostei

Esfera - Pedro Khima

Por sinal, essa esfera que me tentava sem me olhar,
Nada mais era do que um som
Que me levava a tentar fugir de ti...
sair de ti...
Uma vez mais, sem saber porquê,
Desistira de dizer:
Nao dá mais, quero mais...
Se não for assim,
Esconde esse sorriso que me faz querer matar por mais!
Mais, mais...
Quero mais...
Mais, mais...
Por isso esconde esse sorriso que me faz querer matar por mais...
Só assim dá para mim conseguir que não doa mais,
Que me deixes ir,
Que me libertes de ti,
Que não me faças sentir,
E eu não quero cair, não me posso entregar
Sem que percebas que não podes julgar,
E eu quero tentar, poder acreditar
Que o aperto cá dentro
Um dia vai acabar,
O monstro em mim não irá sucumbir,
Não desfalece por não conseguir
Que olhes p'ra mim, que me facas existir,
Por isso esconde esse sorriso que me faz querer matar por mais
Mais, mais...
Quero mais...
Mais, mais...
Por isso esconde esse sorriso que me faz querer matar por mais
Mais, mais...
Quero mais...
Mais, mais...
Por isso esconde esse sorriso que me faz querer matar por mais

De alma morta - Pedro Khima

Se um outro que não este rosto me vingar,
Se em algo mais a nova rota falhar.
Ver para além de mim,
Sem me livrar de mim.
Se uma mentira fosse um prazer carnal,
Quanto eu perdi.
Se por rasteira do silêncio me engoliu,
Se por acasos do mistério sorriu.
Ter o ciúme em mim,
Ter o ladrar em mim.
Se uma mentira fosse um prazer carnal,
Como eu caí,
E o mundo pedi em voz de quem perdeu.
Sobe e rasga o sonho,
Diz-me que tudo é mentira,
É fantasia,
Uma sombra para não mais lembrar,
Vá se lá saber.
Se de alma morta de inveja se vingou,
Se de arma sóbria de sentido matou.
Sem duvidar de mim,
Sem respirar por mim.
Se uma mentira fosse um prazer carnal,
Como eu caí,
E o mundo pedi em voz de quem perdeu.

Amar!

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!
Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!
Há uma primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!
E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...
Florbela Espanca

O guardador de rebanhos - Alberto Caeiro

I

Eu nunca guardei rebanhos,
Mas é como se os guardasse.
Minha alma é como um pastor,
Conhece o vento e o sol
E anda pela mão das Estações
A seguir e a olhar.
Toda a paz da Natureza sem gente
Vem sentar-se a meu lado.
Mas eu fico triste como um pôr do Sol
Para a nossa imaginação,
Quando esfria no fundo da planície
É se sente a noite entrada
Como uma borboleta pela janela.

Mas a minha tristeza é sossego
Porque é natural e justa
E é o que deve estar na alma
Quando já pensa que existe
E as mãos colhem flores sem ela dar por isso.

Como um ruído de chocalhos
Para além da curva da estrada,
Os meus pensamentos são contentes.
Só tenho pena de saber que eles são contentes,
Porque, se o não soubesse,
Em vez de serem contentes e tristes,
Seriam alegres e contentes.

Pensar incomoda como andar à chuva
Quando o vento cresce e parece que chove mais.

Não tenho ambições nem desejos
Ser poeta não é uma ambição minha
É a minha maneira de estar sozinho.

E se desejo às vezes
Por imaginar, ser cordeirinho
(Ou ser o rebanho todo
Para andar espalhado por toda a encosta
A ser muita cousa feliz ao mesmo tempo),
É só porque sinto o que escrevo ao pôr do Sol,
Ou quando uma nuvem passa a mão por cima da luz
E corre um silêncio pela erva fora.

Quando me sento a escrever versos
Ou, passeando pelos caminhos ou pelos atalhos,
Escrevo versos num papel que está no meu pensamento,
Sinto um cajado nas mãos
E vejo um recorte de mim
No cimo dum outeiro,
Olhando para o meu rebanho e vendo as minhas ideias,
Ou olhando para as minhas ideias e vendo o meu rebanho,
E sorrindo vagamente como quem não compreende o que se diz
E quer fingir que compreende.

Saúdo todos os que me lerem,
Tirando-lhes o chapéu largo
Quando me vêem à minha porta
Mal a diligência levanta no cimo do outeiro.
Saúdo-os e desejo-lhes sol,
E chuva, quando a chuva é precisa,
E que as suas casas tenham
Ao pé duma janela aberta
Uma cadeira predilecta
Onde se sentem, lendo os meus versos.
E ao lerem os meus versos pensem
Que sou qualquer cousa natural
Por exemplo, a árvore antiga
À sombra da qual quando crianças
Se sentavam com um baque, cansados de brincar,
E limpavam o suor da testa quente
Com a manga do bibe riscado.
II

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do mundo...
Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...
O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...
Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar...

Amar é a eterna inocência,
E a única inocência é não pensar...

Ser Poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!
É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!
É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!
E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!
Florbela Espanca

Olha-te ao espelho

Será que era para não se saber?
É que eu já sei e como eu muito mais gente...
Desculpa, mas alguém denunciou o teu segredo...
Esqueceste-te que isso poderia acontecer?
Já não é o primeiro segredo que tentas guardar de nós, logo de nós...
Afinal quem somos nós para ti? Uns bonecos com os quais podes brincar quando bem te apetecer? Pois então desengana-te. A tua hora há-de chegar.
Dizem que a vingança é um prato que deve ser servido frio, não é?
Olha que eu não sou vingativa, mas a paciência um dia esgota-se.
Estou farta das borradas que fazes... Eu e todos...
Será que não vês isso ou simplesmente finges que não vês?
É bem mais fácil, não é? Não precisas preocupar-te tanto...
Finges dar a cara, mas enfias-te num buraco para que ninguém te veja...
Achas-te importante apesar de não passares de um trapo velho que já não serve para nada...
Talvez as pessoas te respeitassem mais se te desses também tu ao respeito...
Bem... Fico-me por aqui... Talvez um dia acabes por te olhar ao espelho e ver a realidade... E tu devias estar bem longe de toda esta realidade...

Ponte: Chinguar - Angola

E saiu a lista de convocados para a ponte deste ano... Chinguar - Angola

Ana Raquel Bastardo – JSF Monte Abraão
Anabela Carmo Santos Pinho – JSF Fiães
Diogo Silva – JSF – Monte Abraão
Edgar Filipe Simões Duarte – JSF Freixianda
Eugénia Maria Martins Matos – JSF Raimonda
Inês Monteiro Souta – JSF Portela
João Paulo Mendonça – JSF Tires
José Miguel Pereira – JSF S. Ovídio
Maria Carolina Silva – S. Catarina F. Bispo
***Maria Filomena Marques Costa – JSF Trofa***
Maria José Magalhães – JSF Barreiro
Marta Oliveira – JSF S. Cristóvão – Guimarães
Nuno Fidalgo – JSF Monte Abraão
Paula Catarina Ponte – JSF S. Tomás Aquino
Pedro Cabrita – JSF S. Tomás de Aquino
Pedro Duarte – JSF Serra das Minas
Sónia Almeida – JSF Monte Abraão

E desejo-lhes uma boa viagem...



Quanto ao resto... Pois, pois é isso mesmo que estão a pensar e mais não digo (e depois os outros é que tal e coisa e coisa e tal... já não é a primeira... vão-se juntando num saco... um dia o saco há-de rebentar) :p

Casamentos...

Após começar uma amiga a casar decidem-se e vão todos atrás :)
Bem, como já é do conhecimento de todos, o Rodolfo e a Clementina já casaram pelo civil... Vão casar dia 25 de Abril de 2007 pelo religioso... Sim, eu sei que já tinha dito...
Mas é que ontem recebi um outro convite de casamento... Dia 5 de Abril de 2007, este em Alverca, imaginem de quem :) Da Marina :)
Depois terei o casamento da Susana, mas apenas em 2009...
A verdade é que os noivos do 3 casamentos não se conhecem, por isso não posso aplicar a primeira frase que usei para abrir este post...
Mas pronto... Eu que nunca tinha ido a nenhum casamento de amigos... Vejo-me agora convidada para 3 casamentos (e um deles já se deu o primeiro passo - civil - para o qual também fui convidada e estive presente :p )
Claro que aos 3 irei com muito gosto e com excepção do casamento da Susana (pois ela ainda não enviou convites... pessoal... o casamento é só em 2009, tenham lá calminha, sim?!). Bem, como eu estava a dizer já confirmei presença no casamento da Cleo e do Rodolfo e também no casamento da Marina e do Ricardo...
Só espero que o meu horário para o segundo semestre não me dificulte a ida ao casamento... Afinal é a minha amiga querida que vai casar :) E em Alverca... Oh Deus... :)
Estou muito feliz por ela... Mas ela sabe isso apesar de ultimamente não nos falarmos muito... Quer dizer, ultimamente até falamos porque temos trocados e-mails, mas fora isso... E estivemos juntas ontem :) Mas fora isso, desde que ela foi viver para Lisboa que nos afastamos um bocado... Apesar do carinho continuar... É uma miúda do melhor... Talvez a melhor pessoa que alguma vez conheci... E desculpem todas as outras pessoas de quem gosto muito... Mas ela aturou-me na fase da parvoseira... Somos amigas desde a adolescência... E não é fácil... Nadinha, ser e muito menos aturar um adolescente... Mesmo quando se é um :) Obrigada Marina... Por tudo... Tu sabes o quê...

Conto de Natal: O jogral de Nossa Senhora

Conta uma lenda medieval que no país que hoje conhecemos como Áustria, a família Burkhard – composta de um homem, uma mulher, e um menino - costumavam animar as feiras de natal recitando poesias, cantando baladas de antigos trovadores, e fazendo malabarismos para divertir as pessoas. Evidente que nunca sobrava dinheiro para comprar presentes, mas o homem sempre dizia a seu filho:
- Você sabe por que a sacola de Papai Noel não se esvazia nunca, embora haja tantas crianças neste mundo? Porque embora ela esteja cheia de brinquedos, às vezes existem coisas mais importantes para serem entregues, os chamados “presentes invisíveis”. Em um lar dividido, ele procura trazer harmonia e paz na noite mais santa da cristandade. Onde falta amor, ele deposita uma semente de fé no coração das crianças. Onde o futuro parece negro e incerto, ele traz esperança. No nosso caso, quando Papai Noel vem nos visitar, no dia seguinte estamos todos contentes de continuarmos vivos e fazendo nosso trabalho, que é de alegrar as pessoas. Jamais esqueça isso.
O tempo passou, o menino transformou-se em rapaz, e certo dia a família passou diante da imponente abadia de Melk, que acabara de ser construída.
- Meu pai, lembra-se que há muitos anos você me contou a história de Papai Noel e seus presentes invisíveis? Penso que certa vez recebi um destes presentes: a vocação de tornar-me padre. Embora precisassem muito da companhia do filho, a família entendeu e respeitou o desejo do filho. Bateram na porta do convento, foram acolhidos com generosidade e amor pelos monges, que aceitaram o jovem Buckhard como noviço.
Chegou a véspera do natal. E justamente naquele dia, um milagre especial aconteceu em Melk: Nossa Senhora, levando o menino Jesus nos braços, resolveu descer à Terra para visitar o mosteiro.
Orgulhosos, todos os padres fizeram uma grande fila, e cada um postava-se diante da Vigem, procurando homenagear a Mãe e o Filho. Um deles mostrou as lindas pinturas que decoravam o local, outro levou um exemplar de uma Bíblia que havia demorado cem anos para ser manuscrita e ilustrada, um terceiro disse o nome de todos os santos.
No último lugar da fila o jovem Buckhard aguardava ansioso. Seus pais eram pessoas simples, e tudo que lhe haviam ensinado era atirar bolas para cima e fazer alguns malabarismos.
Quando chegou sua vez, os outros padres quiseram encerrar as homenagens, porque o antigo malabarista não tinha nada de importante para dizer, e podia desmoralizar a imagem do convento. Entretanto, no fundo do seu coração, também ele sentia uma imensa necessidade de dar alguma coisa de si para Jesus e a Virgem.
Envergonhado, sentindo o olhar reprovador dos seus irmãos, ele tirou algumas laranjas do bolso e começou a jogá-las para cima e segurá-las com as mãos, criando um belo círculo no ar, igual ao que costumava fazer quando ele e sua família caminhavam pelas feiras da região.
Foi só neste instante que o Menino Jesus começou a bater palmas de alegria no colo de Nossa Senhora. E foi para ele que a Virgem estendeu os braços, deixando que segurasse um pouco a criança, que não parava de sorrir.
Paulo Coelho

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Calendário de exames

E já saíram as datas dos exames...
Só agora... Tem algum jeito?
Ainda por cima é tão chunga...

Fase 1:
14/01 - 18h - SIVP
16/01 - 17h - BMC
18/01 - 10h - Micro
10/01 - 10,30h - Anatomia
21/01 - 16h - Biofísica
23/01 - 16h - Bioquímica

Fase 2:
29/01 - 10h - BMC
30/01 - 10h - Bioquímica
30/01 - 18h - SIVP
31/01 - 16h - Micro
01/02 - 10,30h - Biofísica
02/02 - 10,30h - Anatomia

Fase Recurso:
11/02 - 10h - BMC
12/02 - 10,30h - Biofísica
12/02 - 18h - SIVP
13/02 - 10h - Bioquímica
15/02 - 14h - Anatomia
16/02 - 10h - Micro

SIVP = Seminário de Integração à Vida Profissional
BMC = Biologia Molecular e Celular
Micro = Microbiologia e Parasitologia
Anatomia = Anatomo-Fisiologia I

Pronto, e aqui está o calendário...

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

SIVP

Sim, é natural que se estejam a perguntar o que quer dizer as siglas do título deste post... Eu passo a explicar...
É uma das cadeiras que tenho no 1º semestre do 1º ano do meu curso, Dietética...
Seminário de Integração à Vida Profissional...
E o que tem isso a ver com a imagem abaixo exposta, a pirâmide alimentar?
É que nessa cadeira tivemos de fazer um trabalho, um poster...
E o meu grupo ficou com o tema "Consumo de frutas e legumes dos estudantes do IPB"... Com isso, o meu grupo "Trifásicas" fomos para a cantina do IPB fazer um inquérito... Tínhamos 100 inquéritos e conseguimos mobilizar vários estudantes... Quase que faltaram inquéritos para os interessados em preencher, mas claro que, como tudo na vida, também houveram aqueles (sejamos sinceros, maior parte raparigas) que nos davam uns "não" bem redondos e por vezes estúpidos...
Lá fizemos o nosso poster e apresentamos na aula de segunda feira... Resultados... Apenas em Janeiro na próxima aula...
E já agora deixo uma recomendação:
Consumo diário de frutas recomendado: 2-4 peças.
Consumo diário de legumes (incluindo saladas, legumes cozidos e sopas) recomendado: 3-5 porções.
Sigam as recomendações e vão ver que o vosso coração agradece :)
Por um coração saudável :)

Férias


Faculdades

Olá...
E já estou na Trofa...
Fui quase que obrigada a entrar de férias mais cedo... Pois era para regressar apenas amanhã a casa... Mas motivos de força maior fizeram-me regressar mais cedo...
Bem... Férias? Na verdade não sei se poderei chamar férias... Pois tenho imenso que estudar...
Uma boa novidade que tenho a contar nem sequer tem a ver comigo...
O meu irmão também entrou na faculdade...
Telefonaram-lhe segunda a dizer para se ir matricular...
Estou a ver que afinal este final de ano está a revelar-se um bom final de ano... Nem tudo pode ser mau na vida...

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Notícias directas de Bragança

E assim começa a minha quarta semana em Bragança...
Também é hoje o dia de aniversário do meu maninho :)
Os meus muitos parabéns :)
Vou ter uma aula extra de SIVP neste momento. Pelo menos desta vez a professora aí está...
Qual o balanço destas semanas que passaram?
Positivo... É verdade que é muito complicado entrar na altura em que eu entrei, mas com um pouco de esforço e força de vontade penso que tudo se consegue...
Comecei a assistir às aulas numa quarta e na quinta tive logo mini teste... Foi um stress autêntico, pois nem sequer a matéria tinha ainda...
Nesta quinta vou ter um teste (não sei bem qual o grau de exigência desse teste), é de Bioquímica... Vamos a ver como corre... Tenho ainda que estudar, pois este fim de semana não tive tempo para pegar no material de estudo, e o que estudei na semana passada... Bem, já é passado...
E mais novidades?
A minha turma, pelo menos para já é fixe... A ver vamos daqui para a frente...
As minhas companheiras de casa são fixes... Uma trabalha no Fórum cá de Bragança e a outra é de Engenharia Alimentar 2º ano... Que é com quem me dou super bem... Espero que as coisas continuem assim!!
Praxes? Não... Pelo menos para já não... Ouvi dizer que seremos praxados no segundo semestre, ao mesmo tempo que a turma de enfermagem que começa no segundo semestre...
E fora isso penso que não há mais nada a dizer...
Fui este fim de semana a casa... Houve um jantar em minha casa com amigos, e troca de prendas de natal... Foi muito fixe, correu muito bem!!
E agora sim, penso que fico por aqui...

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Mudanças

Olá, olá...
Sei que estou em falta...
Não é que hajam muitas novidades, mas eu prometo que assim que conseguir venho cá actualizar isto...
Beijinhos a todos

domingo, 11 de novembro de 2007

Sonho acabado


Agora neste momento perco-me nos meus pensamentos, pergunto-me por que a vida é desta maneira...
Não sei exatamente o que escrever, sinto-me vazia e perdida entre as palavras que ecoam nos meus ouvidos.
Inevitavelmente, sinto-me mais e mais triste, sinto como se o chão desaparecesse dos meus pés e as paredes começassem a fechar-se comigo, apertando-me cada vez mais, então caio num precipício e tento agarrar-me em esperanças falsas que sei que não as tenho mais...

Paciência e Amor


O amor não se mede pela qualidade e quantidade de beijos que se trocou durante um certo tempo. Nem tão pouco pelos abraços apertados parecendo querer fundir dois corpos. A quantidade de vezes que se praticou sexo também não é o termómetro para medir o amor. O único termómetro que pode ser usado para medir o amor é a paciência. Para ser beijado e beijar quando um dos dois estão querendo um minuto de privacidade. Para receber um abraço quando está compenetrado na leitura de um livro ou absorto em um trabalho. Amor paciente. Ter paciência com o outro percebendo o momento certo de dar aquele beijo ou aquele abraço que arrepia. Perceber com carinho que quando alguém está absorvido por uma boa leitura ou executando um trabalho que exige concentração, que ele não quer ser incomodado nem mesmo com um abraço. Então podemos perceber que o amor e a paciência despertam sentimentos de carinho e de ternura. E estes quatro levam a outro de compreensão de si mesmo e do parceiro, e juntos, todos que se amam descobrirão que a paciência é o grande segredo dos casamentos e das parcerias quase perfeitas. Que duram muito tempo...Em busca da perfeição. Que não deve nunca ser alcançada, para que o buscar não termine. E que a paciência e o amor sejam eternos.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Miminhos da Rute

Olá :)
Penso que a Rute não se importa se eu colocar aqui alguma imagens de trabalhos seus...
Pessoal, olhem com atenção estas maravilhas...
Mas vejam mesmo, apreciem :)






E então pessoal? Lindo, não é?!
Podem consultar o blog dela, encontra-se na coluna do lado direito do meu blog "Miminhos da Rute", e façam as vossas encomendas :)
Difícil escolher, hen?!
Beijocas :)

Valer a pena


Sabemos como é a vida: num dia dá tudo certo e no outro as coisas já não são tão perfeitas assim. Altos e baixos fazem parte da construção do nosso caráter. Afinal, cada momento, cada situação, que enfrentamos em nossas trajetórias é um desafio, uma oportunidade única de aprender, de se tornar uma pessoa melhor. Só depende de nós, das nossas escolhas.
Não sei se estou perto ou longe de mais, se peguei o rumo certo ou errado. Sei apenas que sigo em frente, vivendo dias iguais de forma diferente.
Já não caminho mais sozinha, levo comigo cada recordação, cada vivência, cada lição. E, mesmo que tudo não ande da forma que eu gostaria, saber que já não sou a mesma de ontem me faz perceber que valeu a pena...

Da crítica

Não se assuste com que os outros comentam a seu respeito; o importante é ter consciência do que faz.
Ainda jovem, Beethoven resolveu escrever alguns improvisos sobre músicas de Pergolesi. Um crítico publicou uma página inteira num jornal, atacando ferozmente a música do compositor.
Ao lhe indagarem o que pensava do comentário, Beethoven disse: "não me preocupo. Se o trabalho for bom como penso, ele irá sobreviver ao jornalista e ao próprio jornal. Se algum dia se lembrarem deste ataque no futuro, será para usá-lo como um exemplo da imbecilidade dos críticos".
Estava certíssimo, centenas de anos depois, a tal crítica foi lembrada num programa de rádio em São Paulo.
(Paulo Coelho)

O grito no vale

O homem resolveu partir em busca de Deus. E foi atrás dos mestres, que diziam conhecer profundamente as razões pelas quais o universo havia sido criado e prometiam explicar o que Deus queria da humanidade.
- Mas quem lhes ensinou isso? - perguntava aos mestres - Foi o próprio Deus?
Os mestres diziam muitas palavras bonitas, mas não conseguiam definir exatamente quem os ensinara tudo que pregavam aos quatro ventos. Portanto, depois de alguns dias de aprendizado aqui e acolá, o homem sempre seguia adiante.
Em suas andanças, terminou conhecendo um vale, onde camponeses afirmavam que, em uma montanha próxima, Deus falava com quem se aproximasse. E o homem foi para a montanha. Esperou durante três dias, jejuando e rezando, mas Deus não se aproximou. No quarto dia, já desesperado, ele gritou:
- Onde estás?
O eco respondeu:
- Onde estás?E, a partir daquele instante, o homem compreendeu que Deus fazia a mesma pergunta e que também lhe buscava.
(Paulo Coelho)

sábado, 3 de novembro de 2007

Escolhendo com confiança

O guerreiro da luz sempre consegue equilibrar rigor e misericórdia. Para atingir seu sonho, precisa de uma vontade firme - e de uma imensa capacidade de entrega.
Embora tenha um objetivo, nem sempre o caminho para atingi-lo é aquele que imagina: por isso, o guerreiro usa a disciplina e a compaixão. Deus jamais abandona seus filhos, mas os desígnios da providência são insondáveis.
Assim, para o guerreiro da luz, não existe nada abstrato. Tudo é concreto e tudo lhe diz respeito.
Ele não está sentado no conforto de sua tenda, observando o que acontece no mundo, mas aceitando cada desafio como uma oportunidade para transformar a si mesmo.Alguns de seus companheiros passam a vida criticando a falta de escolha ou comentando as decisões alheias. O guerreiro, porém, transforma seu pensamento em ação.Algumas vezes ele erra e paga - sem reclamar - o preço de seu erro. Outras vezes desvia-se do caminho e perde muito tempo voltando ao destino original.Mas um guerreiro não se distrai porque sabe o que está procurando.
(Paulo Coelho)

Sentimentos

Sentimentos são como uma fera indomàvel
Não se pode prende-los
São como cavalos selvagens,
Que ninguém consegue dominá-los
São como os rios,
Que represa nenhuma impede de chegar ao mar.
São como os ventos.
Nada pode dete-los
São visiveis como o sol,
Ninguém consegue escondê-los.
São necessários como fogo,
Queima mais todos precisam sentir.
Florecem o coração,
E às vezes deixam espinhos por dentro.
São como estradas,
Sem sinalização de perigo.

É mais fácil


É mais fácil ser sincero que fingir.
É mais fácil ser verdadeiro que sustentar a mentira.
É mais fácil agir que conviver com o arrependimento.
É mais fácil fazer direito que voltar atrás e consertar.
É mais fácil planear com antecedência que tentar recuperar o tempo perdido.
É mais fácil alcançar a excelência que tolerar a mediocridade.
É mais fácil viver com propósito e determinação que deixar que outros controlem sua vida.
É mais fácil acabar o trabalho agora que voltar a ele mais tarde.
É mais fácil trabalhar com cooperação e respeito que com trapaças e brigas.
É mais fácil falar o que pensamos que conviver com a injustiça.
É mais fácil perguntar e aprender que viver na ignorância.
Depois que tudo está dito e feito, a vida é mais fácil quando a vivemos como deve ser vivida:
com propósito, honestidade, esforço, e respeito...

Quando os anjos falam

Ninguém é corajoso todo tempo. O desconhecido é um desafio constante, e o medo faz parte da jornada.
O que fazer? Converse consigo mesmo. Fale sozinho. Converse com você, mesmo que os outros achem que você ficou louco. À medida que falamos, uma força interior nos dá segurança para superar os obstáculos que precisam ser vencidos. Aprendemos as lições das derrotas que - inevitavelmente - vamos sofrer. E nos preparamos para as muitas vitórias que farão parte de nossa vida.
E aqui entre nós, aqueles que têm este hábito (entre os quais me incluo) sabem que jamais estão falando sozinhos; o anjo da guarda está ali, escutando e nos ajudando a refletir. A seguir, algumas histórias sobre anjos.
A conversa no céu

Abd Mubarak ia até Meca, quando sonhou certa noite que estava no céu. Ali, pode escutar dois anjos conversando.
"Quantos peregrinos vieram este ano à cidade sagrada?", pergun­tou um deles.
"Seiscentos mil", respondeu o outro.
"E, destes todos, quantos tiveram sua peregrinação aceita?"
"Nenhum. Entretanto, existe em Bagdad um sapateiro chamado Ali Mufiq, que não efetuou a caminhada; mas sua peregrinação foi aceita, e suas graças beneficiaram os 600 mil peregrinos".
Quando acordou, Abd Mubarak foi até a sapataria de Mufiq, e lhe contou o sonho.
"À custa de grandes sacrifícios, terminei juntando 350 moedas", disse, chorando, o sapateiro. "Entretanto, quando estava pronto para seguir até Meca, descobri que meus vizinhos tinham fome. Distribuí o dinheiro entre eles, sacrificando minha pere­grinação".

O mendigo e o monge

Um monge meditava no deserto, quando um mendigo se aproximou:
"Preciso comer".
O monge - que estava quase em sintonia perfeita com o mundo espiritual - não respondeu nada.
"Preciso comer", insistiu o mendigo.
"Vá até a cidade e peça aos outros. Não vê que me atrapalha? Estou tentando comunicar-me com os anjos”.
"Deus se colocou debaixo do homem, lavou seus pés, deu sua vida, e ninguém o reconheceu", respondeu o mendigo. "Aquele que diz amar a Deus - que não vê - e esquece o seu irmão - que vê - está mentindo".
E o mendigo transformou-se num anjo.
"Que pena, você quase conseguiu", comentou antes de partir.

Condenando o irmão

O abade Isaac de Tebas estava no pátio do mosteiro rezando, quando viu um dos monges cometer um pecado. Furioso, interrompeu sua oração, e condenou o pecador.
Naquela noite, foi impedido de voltar a sua cela por um anjo, que lhe disse: "Você condenou seu irmão, mas não disse que casti­go devemos aplicar: as penas do inferno? Uma doença terrível ainda nesta vida? Alguns tormentos em sua família?"
Isaac ajoelhou-se e pediu perdão: "Atirei as palavras no ar, e um anjo escutou-as. Eu pequei por falta de responsabili­dade com o que digo. Esquece minha ira, Senhor, e me faz ter mais cuidado ao julgar o meu próximo”.
(Paulo Coelho)

Da tensão e do nervosismo

O Guerreiro da Luz sabe que é impossível viver em estado de completo relaxamento. Aprendeu que certos instrumentos musicais precisam ter suas cordas esticadas, para que o som seja puro. Aprendeu que o arqueiro, quando está pronto para disparar sua flecha, precisa retesar o arco. Olha para o céu e percebe que, para as estrelas não se chocarem uma com as outras, é preciso deixar que a força de gravidade de cada uma delas possa atuar.
O Guerreiro da Luz repara que o cavalo, no momento de ultrapassar um obstáculo, contrai todos os seus músculos. Por isso o guerreiro da Luz sabe que é preciso usar a tensão para manejar bem sua espada. Entusiasmado, ele jamais confunde tensão com nervosismo. Dá seus passos com firmeza, e sorri nos momentos mais difíceis de seu combate diário.
(Paulo Coelho)

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Só Tu - Paulo Setúbal

Pronto, disseram que era lindo e tal, vim ver e realmente até é giro...
Cá vai então...
Só Tu
Dos lábios que me beijaram,
Dos braços que me abraçaram
Já não me lembro, nem sei...
São tantas as que me amaram!
São tantas as que eu amei!
Mas tu - que rude contraste!
Tu, que jamais me beijaste,
Tu, que jamais abracei,
Só tu, nesta alma, ficaste,
De todas as que eu amei.

Boa noite


Decepções

Criar expectativas é quase inerente ao ser humano. Só que, na maioria das vezes, expectativa gera decepção... As pessoas sempre esperam pelo que não devem, ou esperam demais... Se conseguires deixar de esperar coisas sem perder a alegria de viver e a capacidade de ver graça nas pequenas coisas, óptimo. Muito melhor para ti. É um favor que tu faz para ti mesmo. Expectativas não são de todo mal. Fazem-nos olhar para a frente e querer algo mais. Decepções acontecem, é claro, mas acho que deixar de esperar as coisas não é o caminho. Se decepcionar e dar a volta por cima é uma saída mais saudável...

Adoro-te, mas tu nem me vês...

OLHO À MINHA VOLTA...
SINTO FALTA DE ALGO...
ALGO IMPORTANTE...
É COMO SE DE REPENTE...
TUDO À MINHA VOLTA PARASSE...
NÃO ESTIVESSE NO MESMO LUGAR...
O SOL PARECE QUE BRILHA MENOS...
OS DIAS ESTÃO MUITO MAIS LONGOS...
AS HORAS NÃO PASSAM...
APANHO-ME A PENSAR EM MOMENTOS...
MOMENTOS QUE PASSEI AO TEU LADO...
TODOS TÃO IMPORTANTES...
POR MENOR QUE PAREÇA...
E SÃO ESSES MOMENTOS...
QUE TE TRAZEM PARA MIM...
PARA UM LUGAR QUE É SÓ TEU...

Arco-Íris


No mundo encontramos, durante nossa existência, com muitas pessoas, conhecemos a dor, a alegria, a tristeza, a felicidade... Enfim inúmeros sentimentos e, na maioria das vezes, estes são relacionados a pessoas e suas atitudes ou comportamentos. Nossa vida é um constante arco-íris e suas cores simbolizam cada momento que vivemos e passamos. Nem sempre a amplidão do azul é constante, porém nossos olhos nunca deixam de enxergar o verde da esperança e o amarelo do sol, porque o calor e o brilho partem do interior de pessoas que exalam sua pureza e bondade onde quer que estejam, onde quer que andem. Nunca deixe que essa luz se apague, pois a mesma ainda percorrerá grandes caminhos de muitas alegrias e felicidades...

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Parabéns Outubro

E mais uma vez feita desnaturada passei os 200 posts e nem comemorei nem nada :)
Mas... contando apenas os posts de 2007... este é o 200º post... Temos de comemorar :) Ok, ok... não é a mesma coisa, sim, eu sei :)
Vou pelo menos tentar não deixar passar o 1º aniversário de existência em branco :p
Pois é... O mês de Outubro foi o mês que até agora contou com mais postagens...
Reparei também que tenho quase 2000 visitas... Jamais imaginei vir a receber assim tantas visitas... Espero que quem visitou meu blog tenha gostado e continue a visitar...
Se às vezes tiverem temas que gostavam de ver tratados aqui estejam à vontade... É só dizer...
Afinal estou numa de não saber bem que postar...
Bem... E assim começa um novo mês... E com isto estamos cada vez mais perto do final do ano... Como os dias correm, embora que por vezes a passinhos de bebé, quando se olha para trás... Como é possível?!!

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Ainda que não to diga: Mãe, Adoro-te!

Obrigado porque tiveste na tua vida um lugar para a minha vida, renunciando a tantas coisas boas que poderias ter saboreado. Porque - mais do que isso - fizeste da tua vida um lugar para a minha. E de muitas maneiras morreste para que eu pudesse viver.
Porque não fizeste as contas para avaliar se a minha chegada era conveniente: abriste simplesmente os braços quando eu vim.
Porque não te deixei dormir e estavas sorridente no dia seguinte.
Porque me sossegaste dizendo "não chores, filho, que a mãe está aqui", e estar no teu regaço era tão seguro como dormir na palma da mão de Deus.
Obrigado porque é pensando em ti que posso entender Deus.
Obrigado por o teu coração ser do tamanho de me teres dado irmãos. Como eu seria pobre se não os tivesse!
Obrigado pelas lágrimas que choraste e nunca cheguei a saber que choraste.
Obrigado porque eu cresci e o teu coração parece ter também crescido. Porque me deste coragem. Porque aprovaste as minhas escolhas, e te mantiveste a meu lado apesar de ter passado a haver a distância. Porque levantas a cabeça - mesmo sabendo que eu estou muito longe - quando vais na rua e ouves alguém da multidão chamar: "mãe!".
(Retirado dum texto de: Paulo Geraldo)

Momento certo

Um amigo do viajante resolveu passar algumas semanas num mosteiro do Nepal. Certa tarde, entrou num dos muitos templos do mosteiro, e encontrou um monge sorrindo, sentado no altar.
- Porque o Senhor sorri? - perguntou ao monge.
- Porque entendi o significado das bananas - disse o monge, abrindo a bolsa que carregava, e tirando uma banana podre de dentro. - Esta é a vida que passou e não foi aproveitada no momento certo... Agora é tarde demais. - Em seguida, tirou da bolsa uma banana ainda verde. Mostrou-a, tornou a guardá-la e disse: - Esta é a vida que ainda não aconteceu, é preciso esperar o momento certo. - Finalmente, tirou um banana madura, descascou-a e, dividiu-a com meu amigo dizendo: - Este é o momento PRESENTE. Saiba vivê-lo SEM MEDO...

Olhar para a frente


Acredito que nada acontece ao acaso, acredito que tudo o que parece ruim tem um fundo de aprendizado necessário para que o próximo passo seja para melhor e, sempre é para melhor, acredito que portas não se fecham se não houver portas maiores e melhores abertas à frente, basta que nossos passos, cabeças, olhos sejam dirigidos à frente. O que ficou para trás, se foi ruim pode servir de aprendizado, mas não deve ser mantido por muito tempo na memória e de jeito nenhum em nossos corações; se foi neutro pode ser colocado de lado, não se deve perder tempo com o que nada significou; se foi bom deve ser lembrado docemente e pode até ocupar algum espaço em nossos corações, até porque, coisas boas trazem bons sentimentos, mas, olhar o tempo todo para trás não é bom, quando menos se espera estamos diante de um paredão, por isso, cuidado e vamos em frente.

O pescador

Hoje parei para pensar e cheguei à conclusão que a vida é que nem o mar, e nós somos os pescadores que nele vive. As ondas vêm e vão, levando os nossos barcos para a felicidade ou para a depressão, para um sorriso, ou para uma lágrima de solidão. Tem dias que vêm as tempestades que quase viram os nossos barcos. Essas tempestades são como os nossos problemas, que quase nos fazem desistir. Mas sempre depois das tempestades, vêm os dias de sol, com muitos peixes. Os dias de sol são os dias alegres e os peixes são o resultado das coisas boas que fazemos. A água desse mar é feita de lágrimas, tanto de tristeza, quanto de alegria. Só não posso dizer a mesma coisa para explicar a imensidão do mar. Cada pessoa tem o seu próprio mar feito por elas mesmas e a imensidão dele, depende do que ela tem no coração para doar... Mas o meu podes ter a certeza, que é de amor...

Pessoas pequenas


Não se deixe abalar pelo fato de um dia ter demonstrado seus sentimentos para quem não soube valorizá-los, o que importa é que você soube assim assumí-los sem medo e essa pessoa um dia vai ver o quanto perdeu; as vezes, construímos pequenos sonhos em cima de grandes pessoas, mas com o passar do tempo, percebemos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para eles...

Recomeçar


Hoje penso como é a vida... muito mais fácil ficar sentada esperando que as coisas aconteçam... que tudo caia do céu. É fácil culpar a Deus, ou outras pessoas porque sua vida não é do jeito que você sonhava, fácil querer um amor perfeito, um amigo sempre presente, uma família sempre compreensiva...Hoje eu descobri que amamos cada pessoa de uma forma diferente...que novas pessoas aparecem, por novas pessoas nos apaixonamos, por novas pessoas sofremos e choramos de amor...Mas hoje eu sei que antes de amar qualquer pessoa tenho que me amar

Possível


"Certa lenda conta que duas crianças estavam patinando em cima de um lago congelado. Era uma tarde nublada, fria e as crianças brincavam sem preocupação. De repente, o gelo se quebrou e uma das crianças caiu na água. A outra criança, vendo que seu amiguinho se afogava debaixo do gelo, pegou uma pedra e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo quebrá-lo e salvar seu amigo. Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino: - Como você fez isso? É impossível que você tenha quebrado o gelo com essa pedra e suas mãos tão pequenas! Nesse instante, apareceu um ancião e disse: - Eu sei como ele conseguiu. Todos perguntaram: - Como? O ancião respondeu: - Não havia ninguém ao seu redor para lhe dizer que não poderia fazer!"

O horizonte


Certa vez alguém chegou no céu e pediu pra falar com Deus porque, segundo o seu ponto de vista, havia uma coisa na Criação que não tinha nenhum sentido... Deus o atendeu de imediato, curioso por saber qual era a falha que havia na criação. -"Senhor Deus, sua criação é muito bonita, muito funcional, cada coisa tem sua razão de ser... Mas no meu ponto de vista, tem uma coisa que não serve para nada". - Disse aquela pessoa para Deus. - "E que coisa é essa que não serve para nada?" - Perguntou Deus. - "É o horizonte. Para que serve o horizonte? Se eu caminho um passo em direção ao horizonte, ele se afasta um passo de mim. Se caminho dez passos, ele se afasta outros dez passos. Se caminho quilômetros em direção ao horizonte, ele se afasta os mesmos quilômetros de mim... Isso não faz sentido! O horizonte não serve pra nada". Deus olhou para aquela pessoa, sorriu e disse: -" Mas é justamente pra isso que serve o horizonte... " Para fazê-lo caminhar ".

Agora só para quem reclama que não há fotos...







O amor é o amor


O amor é o amor - e depois?
Vamos ficar os dois
a imaginar, a imaginar?…
O meu peito contra o teu peito
cortando o mar, cortando o ar.
Num leito
há todo o espaço para amar!
Na nossa carne estamos
sem destino, sem medo, sem pudor,
e trocamos - somos um? Somos dois? -
espírito e calor!
O amor é o amor - e depois?

Alexandre O’Neill

Sorriso


Creio que foi o sorriso, sorriso foi quem abriu a porta. Era um sorriso com muita luz lá dentro, apetecia entrar nele, tirar a roupa, ficar nu dentro daquele sorriso. Correr, navegar, morrer naquele sorriso.

Eugénio de Andrade

Isto é uma carta de amor



Isto é uma carta de amor
Mas não sei dizer-te que espécie de amor.
As flores brotam do campo de golfe.
Estou no carro a ouvir não sei
O quê; o que é? Oiço . Aleluias, fortíssimo,
Piano forte, um forte de conhecimento, reconhecimento,
Piano, leve, pianos em queda,
Inofensivos. Como pude sentar-me
à mesa contigo, se já saciada?
Talvez quisesse só sentir a comida nos dentes.
A soprano vira a página.
A trompa. Escuta: Ámen, ámen.
A Academia de Saint Martin in The Fields,
O que está no campo, bolas de golfe?
Sir Neville Mariner dirige,
Dirigindo, Rua Mariner abaixo.
Quando é que se abre a porta aberta?
Há quanto tempo te conheço nesta vida de cão?
Dirijo-me para sul; as luzes acompanham o ritmo.
Há um bálsamo
Há uma história que te quis contar
Em Gilead o telhado está a arder
Não haverá um bálsamo nos meus lábios
A cor é de cena
As luzes mudam
Há um bálsamo
Agarro-me de olhos fechados a uma ideia de ti
Numa rede e o rádio sempre a tocar
Há um bálsamo
O retrato da Virgem Mãe de pé
Aos pés da cruz, Rossini,
Perto, escuta, existe, há um bálsamo há
de pé uma virgem.

elizabeth burns

Aparências? Não, obrigada!

E pronto, as coisas não mudam. Mas afinal ela julga que é quem? Será que não se toca? Tocar até é capaz de se tocar, mas faz de conta que não é nada com ela. Ai que nervos...
Para ela o mais importante é manter as aparências e deve julgar que os outros são assim também. Mas comigo está muito enganada. Para mim a aparência não vale nada. Não vivo de aparências. Na verdade até sou transparente demais...
Há coisas que não suporto, e esta é uma delas. Há sapos que temos por vezes de engolir para levar as coisas para a frente, mas chega... Não sou nenhum lago.
Eu mesma me irrito pela minha maneira de ser... Mas nada posso fazer para mudar. À partida as pessoas não mudam da noite para o dia, a menos que tenham andado a fingir...
Quando este pesadelo vai terminar? Quando ela vai dar-se conta de que o único empecilho é ela? Com aquela atitude até confunde as pessoas, "mas afinal quem é quem?"... Qualquer dia até eu me baralho... Mas afinal que faz ela neste meio? Isto nada tem a ver com ela. Bola para a frente é o que se quer... A ideia é ser como um rio e não como um lago (referente ao mover das águas)...
A verdade, pelo menos essa eu sei e todos os que nos rodeiam vão saber mais cedo ou mais tarde. Tal como diz o velho ditado "a verdade vem sempre ao de cima" e aí vão conhecê-la de verdade e vão saber o porquê das coisas acontecerem como aconteceram.
Tens medo que se estale o verniz? Eu não. Apenas tu serás desmascarada e a vida será mais bela... É pena, digo-te, é mesmo pena teres-te tornado naquilo que és hoje. Se um dia te tive alguma consideração e respeito. Hoje... Não, hoje não te tenho nada. Apenas desprezo que é o que mereces... Mas magoa-me. Magoa-me que sejas assim... E magoa-me aquilo que estás a fazer as pessoas que te rodeiam passar...
Espero que um dia não te venhas a arrepender. Espero que um dia não passes pelas pessoas na rua e elas te virem a cara. Mas é essa a semente que estás a plantar... Apenas gostava que abrisses os olhos e desistisses de ser quem te dedicaste a ser. Apenas gostava que olhasses em todas as tuas direcções e percebeste quem foste um dia, quem és neste momento e quem virás a ser... A escolha é tua. Ainda vais a tempo de mudar. Basta para isso que abras os olhos e te dês conta de que as coisas mudaram. Já não és nada, já não és ninguém. Ou por outra, és o mesmo que todos os outros que te rodeiam.
Acredita quando digo que não te desejo mal, pois não sou de guardar rancores nem ódios, mas que começas a merecer o meu... Não nego... Por isso te digo, abre os olhos... Não sou a única a ter esta opinião sobre ti... Abre os olhos se queres um dia falar para as pessoas e que elas te ouçam. Aproveita o resto de dignididade que talvez haja ainda em ti. Faz com que as pessoas não te desprezem... Faz com que fique o mínimo de respeito...
Bem... A última decisão é tua. Apenas gostava que metesses a mão na consciência - se fores capaz disso - e reflectisses sobe o que andas a fazer. Não é apenas a uma nem a duas pessoas que estás a fazer mal. Mas mais importante ainda é que estás a fazer mal a ti mesma... Pensa e age consoante aquilo que acreditas não deixando de lado que a tua decisão influenciará a decisão de muitas outras pessoas e inclusive as suas opiniões acerca de ti, se bem que a minha dificilmente mudará...

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Sois a semente

1. Sois a semente que há-de crescer,
Sois a estrela que há-de brilhar.
Sois o fermento a terra e o sal,
Luz nova no mundo a alastrar.

Vós sois o sol da manhã a nascer,
Sois a espiga que há-de crescer .
Vós sois no mundo denuncia do mal,
Profetas que vou enviar.

Ide amigos, pelo mundo
Anunciar o amor
Mensageiros da vida
Do perdão e da paz!
Sede amigos testemunhas
Da minha ressurreição.
Sede a minha presença
E eu convosco estarei!

2. Sois uma chama que há-de acender,
Esplendores de Fé e de amor.
Sois os pastores que hão-de guiar,
O mundo por sendas de paz.

Sois amigos os eleitos de Deus,
Sois palavra que deve gritar.
Sois reino novo que há-de gerar:
Justiça, verdade e amor.

3. Sois o fogo que Eu vim trazer,
Sois a onda que agita o mar.
Sois o fermento que vai levedar
A massa do mundo melhor

Uma cidade não se esconderá,
Nem os montes se hão-de ocultar.
Em vossas obras que buscam o bem,
Sereis testemunhas do amor.

Espírito de Amor

Espírito de Amor, leva-me onde queres
Sou apenas leve pena ao sopro do Teu vento
Ardes dentro do meu peito, inflamas o coração
Se sinto Tua presença, pés na estrada, eis o caminho!

Eis o meu ser, meus sonhos, a minha entrega
A Tua luz me seduziu!
E agora é a vida, a sede, Tua voz, nosso Amor
Vem, espírito de Amor!

Espírito de Amor, se a incerteza nasce em mim
Basta que me toques e me digas: estou aqui!
E se me chamarem louco, então ficarei feliz
Pois no risco da aventura estão todos os meus sonhos

Caminha na luz

O espírito é força que nos liberta
Caminha, caminha, caminha na luz
Ele faz de nós a Igreja em festa
Caminha, caminha, caminha na luz

Caminha na luz, caminha na luz
Caminha na luz, caminha na luz do Senhor

Jesus prometeu a vida a quem ama
Caminha, caminha, caminha na luz!
Os mortos vivem quando ele chama
Caminha, caminha, caminha na luz!

Sabemos que a morte não é o fim
Caminha, caminha, caminha na luz!
Porque Ele está vivo, é o Senhor
Caminha, caminha, caminha na luz!

O amor de Cristo tudo salvou
Caminha, caminha, caminha na luz!
E n’Ele a bondade de Deus se mostrou
Caminha, caminha, caminha na luz!

Boa noite, Maria

Boa noite, boa noite, Maria
Boa noite, minha mãe
(bis)

O dia foi lindo para mim
Foi lindo para Ti, harmonia
Vivemos na mesma cruz
Juntos com Jesus, na alegria

As horas de contemplação
Foram oração, em festa
Agora, no fim deste dia
Rezo a teu Jesus, Maria

A benção, para todos os meus
Para os pecadores, que são teus
A paz para os que sofrerem
Para os que morrerem, sem Deus

Quero ser como Tu

Quero ser como Tu
Como Tu, Maria
Como Tu, um dia
Como Tu, Maria

Quero aprender a amar...

Quero dizer meu “sim”...

A minha missão

A minha missão é dar-me sem medida
Entregar meus sonhos a Ti que és o meu Rei
É mais fácil morrer do que dar a vida
Mas só enquanto a der a viverei

Toda a noite escura se rompe em claro dia
Quebram-se as cadeias da dor que ainda resta
Quando visto a minha alma de alegria
Para Te adorar com o coração em festa

Toda a natureza canta um canto novo
E os próprios céus irrompem num abraço
Quando me abandono na vida em que Te louvo
Para Tu seres tudo quanto eu faço

Estrela Polar

Esta sede de Te encontrar em mim
De correr para Ti, de estar junto de Ti
Guias pelos vales o decurso do meu rio
Única razão és Tu, único sustento Tu
A minha vida existe porque existes Tu

Tudo gira à Tua volta em função de Ti
Não importa quando, onde nem porquê

Gira o firmamento sem nunca ter Paz
Mas existe um ponto a brilhar para mim
A estrela polar que fixa os meus passos
A estrela polar és Tu, a estrela segura Tu
A minha vida existe porque existes Tu

Brilha a Tua luz no centro do meu ser
Dás sentido à vida que em mim nasceu
Tudo que farei será somente amor
Único sustento és Tu, a estrela polar Tu
A minha vida existe porque existes Tu

Vede Senhor

Vede Senhor, quanta gente
Nunca ouviu falar de Vós
Quanta gente não sabe
Que deve amar alguém
Senhor aceitai-nos assim

Vede Senhor, nós chegámos
Prontos a dar o que temos
A vida alegre ou triste
O amor que em nós existe
Senhor aceitai-nos assim

Mmmmm...
A vida alegre ou triste
O amor que em nós existeSenhor aceitai-nos assim

O Senhor é meu pastor

O Senhor é meu pastor
Sei que nada temerei
Ele guia o meu andar
Sem medo avançarei (bis)

Confiarei, nessa voz que não se impõe
Mas que oiço bem cá dentro
No silêncio a segredar
Confiarei, ainda que mil outras vozes
Corram muito mais velozes
Para me fazer parar
E avançarei, no meu caminho
Agora eu sei, que Tu comigo vens também
Onde fores aí estarei
Contigo avançarei

Confiarei, na Tua mão que não me prende
Mas que aceita cada passo, no caminho que fizer
Confiarei, ainda que o dia escureça
Não há mal que aconteça, se contigo estiver

Confiarei, por verdes prados me levas
E em Teu olhar sossegas, a pressa do meu olhar
Confiarei, a frescura da Tua fonte
Deixa a minha vida cheia, minha taça a transbordar

Tomo este pão e este vinho

Tomo este pão e este vinho
Em memória do meu Salvador
Tomo este pão e este vinho
São o corpo e sangue do Senhor

Bebendo o Teu sangue neste cálice
Bebo o sangue da Nova Aliança
O que derramaste pelos Homens
Para remissão e esperança

Tomando o pão que é o Teu corpo
Comungo a igreja transcendente
Faz Teu corpo eterna a minha alma
Pela Fé me salva para sempre

Levarei comigo a tua luz
Irei pelo mundo anunciar
Que por nós morreste numa cruz
Mas pudeste a morte derrotar

Comungar Teu corpo, dom de amor
É fazer conTigo um compromisso
De gastar a vida pelos outros
Assumir no Reino o meu serviço

É fruto maduro do Teu Reino
É o pão que me torna capaz
De fazer da minha juventude
Liberdade, amor, justiça e Paz

Pai Nosso Tu Que Estás

Pai Nosso Tu que estás
Nos que amam a verdade
Faz que o reino que por Ti se deu
Chegue em breve aos nossos corações
E o amor, que o Teu filho nos deixou
E o amor, venha habitar, em nós.

E no pão da unidade
Cristo dá-nos tua Paz
E perdoa-nos do nosso mal
Como perdoamos aos demais
Não permitas, que caiamos em tentação
Ó Senhor, e tem piedade, do mundo.

Tudo o que sou

Que Te posso dar
Que não me tenhas dado Tu
Que Te posso dizer
Que não me tenhas dito Tu
Que posso eu fazer
Eu não posso fazer nada
Eu não posso fazer nada
Senão por Ti, Senhor

Tudo o que sou
Tudo o que sei
Tudo o que tenho é Teu
(bis)

Quero louvar-te

Quero louvar-Te, sempre mais e mais
Quero louvar-Te, sempre mais e mais
Buscar Tua vontade, Tua graça conhecer
Quero louvar-Te

Quero seguir-Te, só a Ti, Senhor ...
(As aves do céu cantam para Ti,
Os animais do campo reflectem teu poder
Quero cantar, quero levantar
As minhas mãos a Ti)

E proclamar-Te, nosso Salvador ...
Quero louvar-Te!

Partilhai a riqueza

1. Ergue-te na alegria
Povo chamado à salvação
Deixa o traje de luto
Porque o Senhor é nossa justiça.
Alegre-se o deserto
E rejubile a fonte mais pura
Consolai o meu povo
Tende coragem, Deus nos conduz.

Partilhai a riqueza, porque Deus de todos é Pai
Sois benditos, entrai no reino da luz
Porque Eu tive fome e vós destes-me de comer
Tive sede e vós destes-me de beber

2. Povos de toda a terra
Fazei da vida uma refeição
Preparai o caminho
Abri as mãos para repartir.
Nesses bairros de fome
Onde a miséria seca o Homem
Numa casa sem vida
Onde ninguém consegue morar.

3. São malditos aqueles
Que vendo o pobre o deixam ficar
Aplanai as veredas
Endireitai o vosso andar.
Pela força do amor
Nasceu a esperança nos olhos tristes
Sê feliz no Meu reino
Estava nu e tu Me vestiste

4. O Universo renasce
Pela partilha e fraternidade
Nesses campos se eleva
Forte clamor: solidariedade
Junto com a alegria
Sobe a justiça ao entardecer
A riqueza da terra Dá para todos em abundância

Deixa Deus entrar

Deixa Deus entrar na tua própria casa
Deixa-te tocar pela sua graça
Dentro em segredo reza-lhe sem medo
Senhor, Senhor, que queres que eu faça?

Só no fundo do ser eu vou encontrar
As razões de viver, as razões de amar
É bem dentro de nós que está a raiz
Que nos faz amar, e ser feliz

Tanta coisa me impede de O escutar
Me desvia da meta que me propus
Eu vou ter a coragem de O deixar entrar
Vou sentir o clarão da Sua luz

Vou consentir que o seu olhar de amor
Se fixe em mim e eu me deixe olhar
Eu vou abrir-me num acto livre ao Senhor
Eu vou ser de Deus, vou deixá-Lo entrar

Palavras para quê?

Aqui está uma pessoa de quem gosto muito, a minha amiguinha de Godim :)
Só lhe quero agradecer a paciência que tem para me aturar... Sim, porque eu assumo que realmente não sou fácil de aturar, nem um pouquinho...
Aqui está a prova de que a distância por vezes não afasta, aproxima :)
Mais uma vez... Obrigada :)

ADORO-TE :)

Fotos, bolo e muitos sorrisos...

E assim se passou o dia... Festa e alegria :)
Agora já não há volta a dar... Está feito :p
Eles sabem a quem me refiro... E também sabem o que eu penso sobre isso...
Estou do vosso lado para o que der e vier... Vocês sabem...
E nem imaginam o quão especial me fazem sentir...
Hoje... Bem... Fico grata pela vossa confiança...
Mil beijinhos...

sábado, 27 de outubro de 2007

E sejam felizes...

A vida às vezes faz-nos cada surpresa... E hoje posso dizer que foi um desses dias, um dia positivamente surpreendente :)
Aqueles olhinhos a brilhar, aqueles sorrisos... Aqueles dois tão lindos, tão apaixonados :) :)
Apenas lhes desejo a maior felicidade e mais não preciso dizer pois eles já sabem :) Adoro-vos, mas isso também não é novidade nenhuma, não é verdade?!
Já tinha saudades destas conversas, de podermos estar assim numa de brincadeira séria :)
Vocês são mesmo muito especiais... São a minha família emprestada.
Bem, agora vou jantar para depois ir tomar café, pois hoje é a Passagem da Vela em Raimonda (e eu estou tão cansada...) Por falar nisso tenho de ir buscar a minha máquina fotográfica, é uma coisa indespensável... Se falta, matam-me :p

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Motivação: Deixa Falar a Vida

A motivação para o tema referido no post anterior é "Deixa falar a vida"... Vamos então deixar falar nossa vida... O que nos dirá ela? Escuta com atenção...
Podes utilizar os seguintes sub-temas para melhor reflectir, não esquecendo que o tema principal é "Vida - Tesouro Escondido"
Quem sou eu?
Vocação um apelo à vida.
O respeito pela Vida nascente.
Busca e vivência do sentido da vida.
Atentados à vida, no mundo contemporâneo.

Valores que orientam uma vida.

E que tal uma caça ao tesouro, ao teu tesouro para descontrair um pouco? Vamos lá jogar então...
1ª Etapa:
Escreve numa folha:
O que é para ti um tesouro?
Que tipo de tesouros conheces?
O que se guarda num tesouro? (À luz da frase: Vida Tesouro Escondido)
Um ou dois tesouros que gostarias de encontrar pelo caminho?
2ª Etapa:
Para encontrar o que desejamos é preciso procurar.
Segue para a 2ª etapa onde desfrutarás de um símbolo da natureza. Lê a seguinte parábola:
«Entrei numa loja e vi um anjo no balcão.
- Santo anjo do Senhor, o que vendes?
Respondeu-me:
- Todos os dons de Deus.
- Custa muito caro?
- Não, tudo é de graça.
Contemplei a loja e vi vasos de vidro de fé, pacotes de esperança, caixinhas de felicidade e sabedoria. Tomei coragem e pedi:
- Por favor, quero muito amor de Deus, todo o perdão Dele, vidros de fé, bastante alegria e felicidade eterna para mim e para minha família.
Então, o anjo do Senhor preparou um pequeno embrulho que cabia na minha mão.
- É possível, tudo aqui?
O anjo respondeu sorrindo:
- Meu querido irmão, na loja de Deus não vendemos frutos, apenas sementes. Plante a sua e seja feliz.»
Agora pensa no que quererá dizer a afirmação:
“Aqui não vendemos frutos, apenas Sementes.”
Escreve numa folha duas sementes que penses possuir e que precisam de desabrochar.
3ª Etapa:
Tem coragem e parte para a 3ª etapa. Avança na procura do verdadeiro tesouro. Nenhum jovem deverá envelhecer parado.
Aí encontras:
«O Reino dos céus pode também comparar-se a um comerciante que anda à procura de pérolas de boa qualidade. Quando encontra uma de muito valor, vai vender tudo o que tem e compra a pérola.»
Mateus 13, 45-46
1. Que significado tinha para aquele homem a pérola?
2. Que atitude tomou o homem da pérola?
3. O que é que o motivou a tomar aquela decisão?
4. E tu jovem, ao descobrires um tesouro o que serás capaz de “vender” para adquirires o tesouro?
Responde com sinceridade a estas perguntas... Leva o tempo que quiseres a reflectir, pois aqui talvez te dês conta de muitas coisas a teu respeito que estavam bem guardadas...
Por fim...
4ª Etapa:
Estás na 4ª etapa.
Levanta-te e continua. Há momentos da vida em que é necessário caminhar, não te canses de andar… Não voltes atrás. Completa a frase: “Se alguém deitar a mão ao arado e olhar para trás…” ………………………………………………………………………………………………………………………………
Chegaste assim ao final desta caça ao tesouro. Agora guarda bem dentro do teu coração, do teu ser, o teu tesouro!
Podes comentar, claro!!!

Reunião JSF: Vida - Tesouro Escondido

A reunião correu bastante bem... Foi diferente de todas as que houveram até agora... Assim será sempre... Diferente... Cada reunião uma novidade...
Aproveitei um tema já por mim conhecido "Vida - Tesouro Escondido", muito ligado ao nosso dia a dia, que nos obriga em tom de brincadeira a reflectir sobre aspectos tão, para nós, banais...
Este tema tem sub-temas... Um deles foi o referido nesta reunião, os outros serão apresentados na próxima reunião oficial, ou seja dia 9 de Novembro, pelos membros presentes neste reunião, aos quais foi atribuído um tema diferente para cada um deles. A partir desse tema podem fazer o que quiserem: uma oração, uma apresentação, um simples texto, uma dinâmica, escolher uma música... O que entenderem... À escolha de cada um...
Contudo fomos hoje informados de que dia 10 de Novembro seremos nós a animar a missa das 19h... E estava agora a pensar... já que estamos com este tema podiamos fazer a missa virada para este tema... Bem, como estava a dizer, devido à missa marcamos uma reuniao extra para dia 2... Mas essa será apenas direccionada para a preparação da missa.
Dia 9 será, como já referi, a apresentação dos sub-temas e os últimos retoques para a missa...
Tu que estás aí a ler!!! Toma bem atenção ao dia para não faltares! Aparece, "disfruta" do Palavra do Senhor, "absorve" o Evangelho e "aprecia" a paz interior com que vais sair da Igreja... Mas aprecia mesmo, ouve o teu coração. Vais ouvi-lo dizer que sem dúvidas terás de estar presente em mais actividades dos JSF e quem sabe até mesmo entrar para o grupo e vir connosco fazer missão?!!!!

JSF Trofa em força

Amanhã, ou seja hoje, há reunião JSF, à mesma hora no mesmo local :P
No sábado, dia 27, temos então a Oração da Passagem da Vela em Raimonda.
No fim de semana passado houve actividades da LIAM nas quais a pedido do meu tio, para muitos conhecido por Sr. Maia (Presidente da LIAM) nós participamos. Foram então o Terço Missionário e a Missa do Dia Mundial das Missões. Penso que ambos correram bem e fizeram com que assim se desse o arranque das nossas actividades para com a paróquia :)
O grupo está animado e empenhado em novas actividades e em alargar novos horizontes, obter novos conhecimentos :)

Baden Powell, in "A caminho do Triunfo"

"Por caminho não quero significar um caminhar ao acaso, sem finalidade, mas antes um trajecto agradável com um objectivo definido, ao mesmo tempo que há consciência das dificuldades e perigos que podem deparar-se-nos no percurso."

Projecto pessoal de vida, é traçar de uma forma consciente, o nosso próprio caminho, à medida das nossas próprias limitações e potencialidades.
É ter a humildade para poder, de tempos em tempos, rever essa rota escolhida e fazer as correcções que forem mais convenientes, tendo sempre no horizonte (como a luz de um farol) esse ideal de sermos Homens Novos.
A nossa própria Felicidade e a de muitos outros à nossa volta assim o pedem.

Pensa nisto! Olha para ti próprio, para os teus planos pessoais, para as tuas ambições e projectos, para a tua postura. Coloca-te como que em frente a um espelho e pergunta-te:
Como estou?
Que rumo devo traçar para alcançar a minha Felicidade?
Que acções concretas me comprometo a realizar?

Reflecte. Age. Sê.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

A cadeia da vida

O rico e o pobre são duas pessoas.
O soldado defende os dois;
O contribuinte paga para os três;
O operário trabalha para os quatro;
O vadio come dos cinco;
O capitalista explora os seis;
O advogado vive dos sete;
O bêbado ri-se dos oito;
O padre absolve os nove;
O médico trata os dez;
O cangalheiro enterra os onze.

Quero ser um televisor

A professora Ana Maria pediu aos alunos que fizessem uma redacção e nessa redacção dissessem o que eles gostavam que Deus fizesse por eles.
À noite, ao corrigir as redacções, ela deparou-se com uma que a deixou muito emocionada.
O marido, ao entrar em casa viu-a chorar e pergunta: "o que aconteceu?"
Ela respondeu: "Leia."
Era a redacção de um menino.
"Senhor, esta noite peço-te algo especial: transforma-me num televisor.
Quero ocupar o lugar dele. Viver como vive a TV de minha casa.
Ter um lugar especial para mim, e reunir minha família aao meu redor...
Ser levado a sério quando falo... Quero ser o centro das atenções e ser ouvido sem interrupções e sem perguntas.
Quero receber o mesmo cuidado especial que a TV recebe quando não funciona.
Ter a companhia do meu pai quando chega a casa, mesmo que esteja cansado.
E que a minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida, em vez de me ignorar.
E que meus irmãos "briguem" para estar comigo.
Quero sentir que a minha família deixa tudo de lado, de vez em quando para passar alguns momentos comigo.
E, por fim, que eu possa divertir todos.
Senhor, não Te peço muito...
Só quero viver o que vive qualquer televisor."
Naquele momento, o marido de Ana Maria disse: "Meus Deus, coitado desse menino. Que descuido o desses pais."
Ela respondeu-lhe: "Essa redacção é do nosso filho."

domingo, 14 de outubro de 2007

Publicações - Paulo Coelho

Para quem não sabe, para quem não quer perder nem uma única obra do seu autor preferido... Aqui ficam as suas publicações... Agora já não podes desculpar-te :)
Retirado do site: http://www.paulocoelho.com/port/ Aconselho a visitarem :)

A Bruxa de Portobello (2007)
Ser como o rio que flui (2006)
O Zahir (2005)
O Gênio e as Rosas (2004)
Onze Minutos (2003)
Histórias para pais, filhos e netos (2001)
O Demônio e a Srta. Prym (2000)
Palavras essenciais (1999)
Veronika decide morrer (1998)
Manual do Guerreiro da Luz (1997)
Cartas de Amor do Profeta (1997)
O Monte Cinco (1996)
Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei (1994)
Maktub (1994)
As Valkírias (1992)
O Dom Supremo (1991)
Brida (1990)
O Alquimista (1988)
O Diário de um Mago (1987)

A oração que Deus entendia - Paulo Coelho

No ano de 1502, durante a conquista da América, um missionário espanhol visitava uma ilha perto do México, quando encontrou três sacerdotes astecas.
"Como vocês rezam?", perguntou o padre.
"Temos apenas uma oração", respondeu um dos astecas. "Dizemos: ó meu Deus, Tú és três, e nós somos três. Tende piedade de nós".
"É uma bela oração, mas Deus não entende estas palavras. Vou ensinar-lhes uma oração que Deus escuta".
E antes de seguir seu caminho, fez com que os astecas decorassem uma oração católica.
O missionário evangelizou vários povos, e cumpriu sua missão com um zelo exemplar.
Depois de muito tempo pregando a palavra da Igreja na América, chegou o momento de retornar à Espanha.
No caminho de volta, passou pela mesma ilha onde estivera alguns anos antes.
Quando a caravela se aproximava, o padre viu os três sacerdotes, caminhando sobre as águas e fazendo sinal para que a caravela parasse.
"Padre! Padre!", gritava um deles. "Por favor, torna a nos ensinar a oração que Deus escuta, porque não conseguimos lembrar!"
"Não importa", respondeu o missionário, ao ver o milagre. E pediu perdão a Deus, por não haver entendido que Ele falava todas as línguas.

O presente invisível - Paulo Coelho

No dia de Natal, a família inteira se reuniu em torno da árvore e começou a abrir os presentes. Contente, a filha entregou uma caixa para o pai.
"Isso é para você, com todo o meu amor".
O orgulhoso pai abriu a caixa, mas ela estava vazia. Com todo carinho, comentou com a filha:
"Meu amor, sei que você teve a melhor das intenções, mas na verdade a vida irá lhe ensinar que não podemos dar algo que não existe, mesmo que esteja bem embrulhado e seja entregue com todo carinho. Acho que você se esqueceu de colocar algo aqui dentro".
"Você não está vendo?"
"Não estou vendo nada, minha filha".
"Pois eu passei uma tarde inteira enchendo-a de beijos!"
Os olhos do pai brilharam:
"Claro! Muito obrigado por um presente tão bonito!"
E durante o resto da sua vida, sempre que sentia-se deprimido ou desencorajado, o pai abria a caixa, retirava um beijo que tinha ali sido colocado e voltava a ter coragem suficiente para enfrentar seus desafios.

Lições do tempo - Paulo Coelho

Regina Azevedo escreve na revista Planeta:
“Muita energia é gasta em torno do que não vai dar certo. Generalizamos experiências ruins do passado como se fossem nossas únicas lembranças, eliminamos as coisas boas, distorcemos os momentos de felicidade, geralmente associando-os com as coisas terríveis que virão depois”.
“Não vivemos o presente. Somos uns bons estudantes, para sermos bons profissionais... no futuro. Somos bons filhos, para sermos bons pais... no futuro”.
“Ao emprestar dinheiro, sempre temos o cuidado de saber se nos podem pagar de volta. Então, porque emprestamos o nosso tempo a coisas sem importância, sabendo que estes momentos jamais nos serão devolvidos?”

Indagação de Shopenhauer - Paulo Coelho

O filósofo alemão Shopenhauer (1788-1860) caminhava por uma rua de Dresden, procurando respostas para questões que o angustiavam. De repente, viu um jardim e resolveu ficar horas seguidas olhando as flores.
Um dos vizinhos notou o comportamento estranho daquele homem, e chamou a Guarda Civil. Minutos depois, um policial se aproximava de Shopenhauer.
"Quem é o senhor?", perguntou o policial, com voz dura.
Shopenhauer olhou de alto a baixo o homem a sua frente.
"Se o senhor souber responder esta pergunta", disse o filósofo, "eu lhe serei eternamente grato".

O poço e o seu segredo - Paulo Coelho

Numa pequena aldeia de Marrocos, um homem contemplava o único poço de toda a região. Um garoto aproximou-se:
"O que tem lá dentro?", quis saber.
"Deus".
"Deus está escondido dentro deste poço?"
"Está".
"Quero ver", disse o garoto, desconfiado.
O velho pegou-o no colo e ajudou-o a debruçar-se na borda do poço. Refletido na água, o menino pode ver o seu próprio rosto.
"Mas este sou eu", gritou.
"Isso mesmo" disse o homem, tornando a colocar delicadamente o menino no chão. "Agora você sabe onde Deus está escondido".

Palavras ao Vento - Paulo Coelho

O abade Isaac de Tebas estava no pátio do mosteiro rezando, quando viu um dos monges cometer um pecado. Furioso, interrompeu sua oração, e condenou o pecador.
Naquela noite, foi impedido de voltar a sua cela por um anjo:
"Você condenou seu irmão, mas não disse que castigo devemos aplicar: as penas do inferno? Uma doença terrível ainda nesta vida? Alguns tormentos à sua família?"
Isaac ajoelhou-se e pediu perdão:
"Atirei as palavras no ar, e um anjo escutou-as. Eu pequei por falta de responsabilidade com o que digo. Esquece minha ira, Senhor, e me faz ter mais cuidado ao julgar o meu próximo".

sábado, 13 de outubro de 2007

Novidades?

Eu sei que tenho andado muito ausente, e neste momento também não posso prometer que começarei a postar algo como era meu habitual... Mas vou tentar... Vou deixar aqui alguns textos para que possam entreter-se... Quanto a novidades... Não há muitas, é uma verdade...
Como já deu para perceber já se deu o XIX Encontro Nacional JSF em Lordelo-Paredes, nos dias 5, 6 e 7 de Outubro. Tendo acontecido na parte da tarde do dia 5 o Regional... Posso dizer que foi um fim de semana cheio de boa energia. Claro que o poder rever amigos ajudou bastante à festa... Ah, e este ano não havia filas nos balneários para tomar banho :p
Estão definidos os cargos do nosso grupo, tendo ficado eu como animadora... Espero estar à altura deste cargo de tão grande responsabilidade... Bem, se fui nomeada, é porque acham que sim... Quanto aos outros cargos também estão muito bem entregues :) em consenso de grupo... Já agora, qualquer coisa, contactar o Ricardo ou a Melisa pois as funcões de secretariado estão dirigidas a eles...
Esta noite vou ao cinema, coisa que já tenho saudades... Ainda não sei qual o filme que vou ver, mas desde que seja comédia... (embora os meus preferidos sejam thrillers, hoje não estou para aí virada...)

Móveis na Missão


Móveis na missão foi o tema deste Nacional - XIX Encontro Nacional em Lordelo - tema este que dá o arranque para o novo ano que se segue...

(Será que me conseguem descobrir na foto?)
Eu queria acima de tudo dar os parabéns aos JSF de Lordelo e a todos os que trabalharam afincadamente para que nos pudesse ser proporcionado um Nacional como nunca havia sido apresentado. Comecemos pelas condiçoões que sem dúvida não podiam ser melhores; passemos à população que tão bem nos recebeu e acolheu fazendo-nos sentir que também eles faziam missão à sua maneira, pelas suas atitudes tão prestáveis; também as actividades, diferentes do que é habitual fizeram todos vibrar e apreciar cada momento com a intensidade, energia e atenção merecidas... Pois foi consefguido que houvesse participação por parte do "público"; a iniciativa de não haver apenas um grupo para limpeza, mas de todos participarem, foi - na minha opinião - uma excelente ideia, pois fez com que todos pudessem participar de corpo e alma no Nacional... Chego então à parte da Missa, que tal como vem sido habitual é vivida com um entusiasmo que nos faz lembrar a todos que somos irmãos e que vivemos a fé de forma rica e saudável... Penso que o mais importante foi dito e que todos nós somos da mesma opinião... Espero que todos os grupos tenham sentido a união que existe, pois esta esteve presente em cada acção de cada JSF presente...

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Resposta à Milena

Penso que as nossas vidas são guiadas pelos nossos sonhos... jamais devemos deixar de sonhar... pois nossos sonhos são desejos... e devem ser realizados... poderia escrever-te um "testamento" sobre o que penso deste tema... mas ele é mesmo para sonhar... por isso... cada pessoa pode levar esse título para o campo que quiser... assim que me voltar a ser possível volto a actualizar o blog... e penso que não faltará muito... pois nem imaginas como me tem custado estar sem escrever... também espero que tenhas gostado e que voltes e possas deixar comentários...